Tudo sobre a gravidez
Quarta-feira, 1 de Maio de 2013

Dicas para Engravidar

2-A idade em que começámos a menstruar pela primeira vez afecta a nossa fertilidade?

Em geral, não. A maioria das mulheres jovens têm o seu primeiro período quando têm 12 ou 13 anos. Começar a menstruar mais cedo ou mais tarde que essa idade não terá qualquer efeito na fertilidade.Na maioria dos casos, ter o período mais cedo ou mais tarde que as outras raparigas não significa nada de anormal. Se têm o período cedo, não há qualquer evidência que haverá problemas em engravidar ou que se vai entrar na menopausa mais cedo.
Há algumns problemas médicos, como a doença da tiróide, falha dos ovários ou algumas complicações genéticas que podem atrasar o aparecimento do primeiro período e, posteriormente, ser mais difícil engravidar.
Spencer Richlin - Especialista de Fertilidade

 

6-Depois de parar de fumar, quanto tempo devo esperar até iniciar as tentativas para engravidar?

O ideal seria parar de fumar um mês antes do início das tentativas para engravidar, visto que não devemos ter nenhuma nicotina no nosso corpo durante a gravidez, visto que actua como um vasoconstritor, contraindo os vasos sanguíneos, incluindo os da placenta e os do bebé. Fumar activa e passivamente pode aumentar o risco de aborto, defeitos de nascimento e outras complicações, bem como diminuir as hipóteses de engravidar.
Aconselho sempre os meus pacientes fumadores não só a pararem de fumar, como também a deixarem de usar produtos de nicotina, como o adesivo ou a goma antes de engravidar e durante a gravidez. Sei que isso pode exigir um pouco de planeaamento e, em vez de cortar radicalmente com o tabaco, sugiro sempre um plano de redução gradual de longa duração:
Semana 1: Afixar um calendário no frigorífico e registar diariamente a quantidade de cigarros fumados por dia.
Semana 2: Olhar para trás, para os últimos sete dias e encontrar o maior número de cigarros fumados por dia. Digamos, por exemplo, que foram 25. Por cada dia desta semana, tirar 25 cigarros e colocá-los num recipiente. Esta será a dose máxima permitida que poderemos fumar por dia. Se não fumámos esta dose, não poderemos fumar os que restaram nos dias seguintes. Se conseguirmos manter este regime durante uma semana inteira, óptimo! (Se não, não devemos desistir e devemos manter-nos neste regime até conseguirmos fazê-lo.) A ideia é conseguir chegar a um número ideal e começar a diminuir a partir daí.
Semana 3: Tirar um cigarro (no nosso exemplo, o total de cada dia seria agora 24), e tentar manter este número durante uma semana. A partir deste exemplo, podemos ver quantas semanas serão necessárias para limpar o nosso corpo da nicotina. Este método é  lento e. geralmente não causa sintomas dolorosos de abstinência. Quando estivermos sem nicotina, pelo menos há um mês, podemos começar a tentar engravidar. É claro que existem muitos outros métodos disponíveis para parar de fumar.
Meredith Goodwin - Medicina Familiar

9-Posso fazer dieta antes de tentar engravidar?

Sim, as hipóteses de uma gravidez saudável são maiores se tivermos o peso ideal. O peso a mais pode alterar os ciclos menstruais,  provocando infertilidade. As mulheres com peso a mais têm mais probabilidade de virem a ter complicações na gravidez, como hipertensão, diabetes e partos difíceis.
É melhor ficar longe daquelas dietas que eliminam certos alimentos ou grupos de alimentos (como carbo-hidratos). Dietas que  eliminam produtos lácteos, frutas e vegetais podem retirar do nosso corpo vitaminas e nutrientes essenciais para uma gravidez saudável.
A melhor dieta é aquela que abrange pão, massas e arroz integrais, proteínas magras (como peixe e carne de aves), frutas, vegetais e lacticínios com baixo teor de gordura, como leite, iogurte ou queijo, cereais integrais e muita água. Podemos sempre consultar um nutricionista, mas aqui ficam algumas orientações para uma dieta saudável:

#Prestar atenção a tudo o que comemos;

#Ser activo. Exercitar os músculos, desenvolve a força, ajuda o nosso corpo a queimar mais calorias e ajuda a termos ossos mais fortes. Assim, com a perda de peso não perderemos tecido muscular. Deveremos reservar pelo menos 60 minutos por dia para exercício físico.

Bridget Swinney - Nutricionista

 

12-Devo diminuir o meu horário laboral se estiver a tentar engravidar?

Talvez. Depende da nossa situação financeira e quanto stressante os nossos empregos são. Se andamos stressados por causa do trabalho, podemos minar as tentativas para engravidar. Apesar de não compreendermos como o stress afecta o sistema reprodutivo, pensamos que os altos niveis de stress interferem com o centro hormonal do cérebro. Como resultado, o nosso cérebro pode não enviar as hormonas reprodutivas necessárias que dizem aos ovários quando libertar o óvulo, atrasando assima a ovulação.

Lidar com tratamentos de infertilidade e trabalho pode ser extremamente stressante. Os tratamentos geralmente são agendados durante o horário laboral, o que significa que a nivel profissional vamos transmitir uma imagem pouco profissional com uma elevada ausência ao trabalho, especialmente quando queremos manter esta questão privada.

Na Primavera de 2004 investigadores da Universidade da Califórnia mediram como as preocupações de uma mulher faltar constantemente ao trabalho influenciavam os seus tratamentos de infertilidade. Os resultados, publicados em Abril de 2004 revelaram que as mulheres que viviam essa preocupação de ausência constante do trabalho tinham uma probabilidade duas vezes maior de não engravidarem do que aquelas cujas faltas ao trabalho não tinham importância.

Por outro lado, se diminuir o horário laboral a nossa vida financeira em risco, será melhor pensar duas vezes. Os tratamentos de infertilidade são caros e geralmente não teremos oportunidade de os fazer no Serviço Nacional de Saúde. Os investigadores também mediram quanto as preocupações financeiras poderiam afectar a capacidade de conceber das mulheres. Conclusão: as mulheres que andavam preocupadas financeiramente, tinham 11 vezes menos probabilidade de engravidar do que as mulheres que não tinham qualquer preocupação financeira.

Se o dinheiro não for uma questão a considerar, então devemos pensar seriamente em diminuir algumas horas e não despedirmo-nos. A última coisa que iremos querer é ficar em casa a pensar nos nossos ovários durante todo o dia. A obsessão pelos pequenos detalhes e sinais do nosso corpo podem ser uma fonte de stress que conduz a ansiedade e depressão. É importante ter uma identidade para além de se ser uma mulher que está a tentar engravidar. Se a nossa carreira profissional é uma parte importante da nossa auto-estima, não devemos abandoná-la num momento de pânico.

Alice Domar - Psicóloga

15-Um aborto anterior pode afectar as hipóteses de engravidar novamente?
Provavelmente não. No entanto, em casos muito raros, múltiplas dilatações e curetagens (a limpeza do útero) pode causar alguns danos no útero. Um procedimento denominado histeroscopia (coloca-se uma pequena câmera dentro da cavidade uterina) pode ser utilizado para verificar este problema e simultaneamente reparar tecidos danificados. Mas se não for este o caso, devemos ter consciência que qualquer procedimento que dilata o cervix (um dos procedimentos para o aborto) enfraquece-o. Por isso, se tivermos tido mais do que um aborto e engravidámos de seguida, podemos ter incompetência cervical - um cervix ou colo do útero que começa a dilatar prematuramente. Pode muitas vezes ser tratado com pontos, mantendo-o assim fechado. Este procedimento denomina-se cerclagem. Quando sofremos abortos repetidos, pelo menos temos a prova de que conseguimos engravidar, o que significa que ovulamos e que as nossas trompas de falópio estão a funcionar devidamente.
Equipa BabyCenter & Robert Jansen - Prof. Medicina Reprodutiva
16-O que são períodos irregulares?
Os ciclos menstruais que variam mais do que alguns dias de mês para mês são considerados irregulares. A maioria dos intervalos dos ciclos menstruais ocorrem de 4 em 4 semanas, entre 24 a 35 dias. Para medir o nosso ciclo menstrual, devemos começar a contá-lo desde o primeiro dia do período até aos primeiro dia do período seguinte. Não nos devemos preocupar se tivermos um ou dois ciclos irregulares: todas as mulheres têm alterações ocasionalmente. A verdadeira irregularidade persiste durante vários meses.
Equipa BabyCenter & Robert Jansen - Prof. Medicina Reprodutiva
17-Que doenças crónicas podem afectar a fertilidade e porquê?
As doenças crónicas são bastante desgastantes para o corpo e algumas delas, particularmente aquelas que provocam perda de peso, podem interferir com a ovulação. Problemas de tiróide podem parar a ovulação. Outros problemas, como os de fígado e rins podem prejudicar a fertilidade, visto que interferem com o funcionamento da glândula pituitária. Medicamentos utilizados para tratar estes problemas podem também causar problemas de fertilidade, por isso se estivermos a tomar medicamentos desta natureza, devemos consultar o médico antes de engravidar, para nos assegurarmos que os poderemos continuar a tomar durante a gravidez. Esteróides, muitas vezes usados para tratar asma e lúpus, geralmente são seguros durante a gravidez, mas se tivermos hipertensão, provavelmente teremos de alterar para uma medicação mais segura para o bebé.
Se tivermos sido diagnosticadas com cancro, deveremos consultar um especialista em fertilidade antes de começarmos qualquer tratamento para a doença, para nos assegurarmos que conseguiremos engravidar no futuro. Se estivermos a fazer quimioterapia ou radiação, provavelmente tomaremos hormonas para parar a ovulação durante o tratamento, aumentando as hipóteses de engravidar mais tarde. Ou, poderemos fazer um tratamento de quimioterapia menos desgastante para o nosso sistema reprodutivo. Algumas mulheres congelam os seus óvulos, fertilizados pelo parceiro, antes de começarem a quimio.
Equipa BabyCenter & Robert Jansen - Prof. Medicina Reprodutiva
18-O que é alergia ao esperma e como saber se sou alérgica?
Quer as mulheres, quer os homens podem desenvolver uma reacção auto-imune ao esperma, denominado anticorpos do esperma, conhecida como alergia aos esperma. Esta reacção provoca uma produção de anticorpos que afecta a capacidade do espermattezóide se mover, inibindo assim a fertilização. Menos de 2% dos casais férteis sofrem deste problema, enquanto que 5 a 25% dos casais com problemas de fertilidade têm-no. Cerca de 20 a 40% dos casais com alergia ao esperma conseguem engravidar com a ajuda da inseminação artificial ou TRA.
Apesar de não se saber o porquê de uma mulher desenvolver anticorpos ao esperma, um homem desenolve anticorpos contra o seu próprio esperma quando este entra em contacto com o seu sangue, geralmente depois de uma vasectomia, torsão testicular, infecção ou lesão. Visto que geralmente os dois fluidos nunca se misturam, o sangue cria uma reacção alérgica contra o esperma. Homens que revertem vasectomias para serem pais, geralmente desenvolvem uma reacção alérgica contra o seu próprio esperma.
Uma alergia de esperma geralmente não apresenta sintomas, apenas causa problemas de fertilidade em alguns casais. Aquela sensação de coceira após o sexo não está relacionada com esta alergia. É uma reacção provocada pelo fungo Candida albicans que provoca uma infecção fúngica, não alergia.
Equipa BabyCenter
19-Que medicamentos podem afectar a minha fertilidade?
Os esteróides como a cortisona e a prednisona, que são usadas para tratar doenças como a asma e o lúpus, podem impedir a glândula pituitária de produzir  hormona suficiente para estimular os folículos (FSH) e hormona luteinizante (LH) para que uma ovulação normal ocorra. Só acontece se tomarmos altas doses de medicação.
Alguns medicamentos mais antigos para a hipertensão, que são usados para contolar a pressão sanguínea, podem aumentar os niveis de prolactina e interferir com a ovulação. Qualquer medicamento que actue sobre o sistema nervoso central, como tranquilizantes ou medicamentos para prevenir epilepsia podem afectar a prolactina e/ou a capacidade da glândula pituitária promover a ovulação. Porém, a maioria dos antidepressivos modernos não têm nenhum efeito negativo na ovulação ou fertilidade
Muitas mulheres tomam medicação para a tiróide, mas se for prescrita demasiada ou de menos, pode afectar a ovulação.
Quando estamos a tentar engravidar é melhor evitar cremes para a pele que contenham estrogénio ou progesterona. Apesar da pele não absorver uma quantidade suficiente dessas hormonas que possa afectar a ovulação, é melhor jogar pelo seguro.
As mesmas altas doses de esteróides que afecta a ovulação feminina também pode reduzir a contagem de espermatezóides. Por isso, medicamentos prescritos para tratar colite e para controlar a pressão arterial podem causar impotência. Mas é muito pouco conhecido o impacto dos medicamentos na fertilidade masculina.
Equipa BabyCenter
publicado por xana às 00:03
Link | comentar | favorito
|

O renovado Babyblues

Após vários meses de inactividade o Babyblues foi reestruturado. Sei que muitas pessoas gostam do blog e não quis desistir dele, no entanto como faço o blog num regime de voluntariado, houve um período de tempo de pouca disponibilidade para o actualizar. Agora renasceu aqui: http://baby-blues.blogs.sapo.pt/

Torna-te fã!



Pesquisar

 

pessoas leram este blog