Tudo sobre a gravidez
Quarta-feira, 5 de Março de 2008

2.ª Gravidez:Semana 35

pregnancy cartoon

 

Desenvolvimento Fetal:

Parabéns! Carregas agora quase 2,700Kg de bébé, sem contar com o líquido amniótico, o cordão umbilical ou a placenta. Estamos impressionados porque é muito trabalho non-stop. Já te sentes orgulhosa? Fizeste um excelente trabalho!

Nesta altura, o teu bébé está quase a rebentar pelas costuras dentro do útero, qua faz com que as suas tentativas de se mover um desafio. Claro que o teu bébé teimoso continua a tentar dar voltas como se tivessem muito espaço. O acumular de depósitos de gordura do bébé começa a equilibrar-se, por isso quando nascer estará pronto para regular a sua temperuatura corporal

 [Textos traduzidos e adaptados do site pregnancy.baby-gaga.com]

Sintomas:

Temos a certeza que notaste que as contracções estão a aumentar e apesar do apelo óbvio do fim da gravidez, tenta não exagerar ao declarares que estás em trabalho de parto. Claro, que há-de chegar uma altura em que as contracções serão contínuas e aí estarás em trabalho de parto e SIM é altura do "agarra nas malas que vamos ter um bébé".

Mas enquanto isso não acontece, a tua melancia está melhor que nunca, já para não mencionar as dores de costas e o cansaço. Aguenta-te! Logo que o teu bébé esteja cá fora, tudo isto será uma memória difusa. Por isso, faz umas sestas sempre que possível e mantém-te hidratada com água e tenta imaginar como tudo isto será giro quando encarado em retrospectiva.

 O teu médico ou parteira irão começar a monitorizar a diminuição do cérvix e a dilatação para prever o parto. Se o teu cérvix já está dilatado o parto não estará longe, apesar de haver algumas mamãs que ainda andam com o cérvix dilatado durante alguns dias antes do parto. E se ainda não ouviste falar do rolhão mucoso (que protege o útero de infecções), isso é um dos sinais de parto.

Mas se por acaso notares que houve algum corrimento anormal não hesites em contactar o médico. Provavelmente pode não ser nada, mas não precisas de stress extra agora.

Vamos falar de dor. Relatórios sobre a intensidade da dor sentida durante o parto demonstram que variam de mulher para mulher. A dor sentida depende de várias coisas, nomeadamente os nossos próprios limites da dor, a medicação, a posição de dar à luz, a posição fetal, nascimentos prévios, a tua saúde em geral e o ambiente actual do parto. Claro, há partos naturais, cesarianas, epidurais e outros medicamentos para as dores que contribuem para a tua própria experiência da dor durante o parto.

O ideal seria tentares estar o mais relaxada possível e estar preparada para aceitar a dor como parte do processo de nascimento. Na realidade, a tua experiência no processo de nascimento é única para o teu corpo e única no modo como escolheres responderes a ela.

A dor é um processo de duas partes: a primeira parte é a experiência física da dor, e a segunda é a reacção emocional à tua experiência - e essa é a parte que mais tens de controlar.

Escolher aceitar e suportar a dor do parto (com ou sem medicação) pode ser uma experiência poderosa para qualquer mulher, bem como tornar o processo de nascimento mais fácil para quem te assiste.

 [Textos traduzidos e adaptados do site pregnancy.baby-gaga.com]

 

Blog da Jornalista Sarcástica: "Uhhh, posso ter uma mãe diferente?..."

«Quando era adolescente, era normal gritar que "não tinha escolhido nascer! Ninguém me perguntou se queria nascer!" Geralmente, isto acontecia antes de bater com a porta e chorar em cima de uma almofada, porque os meus pais não me deixavam sair depois da meia-noite.

No início da minha gravidez, nove mês pareciam muito tempo. Sempre que tinha preocupações sobre o bébé ou sobre ser mãe, lembrava-me que faltava muito tempo.

Mas agora, com 35 semanas, ter um bébé já não está assim tão longe! Considerando que que às 36 ou 37 semanas muitos médicos acham normal entrar em trabalho de parto, o momento de ter o bébé está a aproximar-se rapidamente. 

Não sei quantas vezes chorei porque tinha a certeza de que o meu bébé me iria "detestar". Eu sei que não estou sozinha. Tenho uma amiga que às 38 semanas preocupava-se com o facto do seu bébé detestá-la.

Não faz sentido nenhum que os nossos bébés nos detestem. Nunca conheci nenhum bébé em toda a minha vida que detestasse a mãe. Os bébés amam as suas mães mais do que ninguém neste mundo. Nós somos as mamãs!

Vou entrar num limbo e acusar as hormonas de tudo isto. Deixem-me colocar as coisas deste modo: os vossos bébés não vos irão detestar. Não vão querer uma mãe diferente. Não vão abrir os olhos, olhar para vocês e ficar embaraçados. Eles terão pelo menos a decência de esperar pela adolescência para o fazerem.»

 

[Textos traduzidos e adaptados do site pregnancy.baby-gaga.com]

  


As minhas impressões...

 

 

[05-03-2008] - Ando a pensar demais...

À medida que as semanas passam e vejo a hora do parto a aproximar-se assaltam-me aqueles medos descontroláveis! Mas por incrível que pareça o medo não é do parto em si, mas da minha estadia no hospital. Só de imaginar que tenho de ficar a dormir num hospital - algo de inédito para mim - e estar vestida todo o dia com uma camisa de dormir,  até me dá arrepios.

 

 

[06-03-2008] - Ando a pensar demais II

Há dias em que quase entro em pânico só de pensar que a qualquer momento, esteja onde estiver, tenho que largar tudo e correr disparada para o hospital.

Só penso que:

1) não estou preparada;

2) nunca vou estar preparada por mais tempo que passe;

3) não tenho a depilação feita;

4) não tenho a casa limpa;

5) tenho tudo desorganizado;

6) será que me falta comprar mais qualquer coisa?...

7) será que a roupa do bébé lhe vai servir?...

8) ainda não acabei o curso de preparação para o parto;

9) ainda não fiz as análises todas;

10) tenho uma consulta marcada para o final do mês;

11) ainda não deixei tudo preparado no trabalho para a minha ausência;

11) pânico, pânico, pânico...

12) ainda não comprei banheira.

publicado por xana às 00:51
Link | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Tânia a 7 de Março de 2008 às 17:36
Sou eu outra vez.
Lembra-se? Desligar o COMPLICÓMETRO.
Pontos 1 e 2 - Dê por onde der, vai ter sempre que sair, é inevitável;
Ponto 3 - Fazer a depilação total. Doi, custa muito, mas é o mais higiénico para o parto e também pós-parto.
Pontos 4 a 6 - Com calma;
Ponto 7 - Nos 1ºs 2 anos de vida a roupa nunca lhes serve. Portanto, sem stress. Em cada estação nova que entra é a renovação total de roupa.
Ponto 8 - Não é grave
Pontos 9 e 10 - Se está tudo bem até agora, também não é por aí. A partir de certa altura começa a ir semanalmente ao médico;
Ponto 11 e 11 - Com calma;
Ponto 12 - Isso é essencial.

Tudo a correr bem.


Comentar post

O renovado Babyblues

Após vários meses de inactividade o Babyblues foi reestruturado. Sei que muitas pessoas gostam do blog e não quis desistir dele, no entanto como faço o blog num regime de voluntariado, houve um período de tempo de pouca disponibilidade para o actualizar. Agora renasceu aqui: http://baby-blues.blogs.sapo.pt/

Torna-te fã!



Pesquisar

 

pessoas leram este blog